//codigo adicionado a pedido de Popcorn metrics

27 de agosto de 2012

Longe do mar também há sal

Conhecem as salinas de Rio Maior?! Eu não conhecia e quando lá cheguei fiquei com pena de ter esperado tanto tempo para lá ir.
As salinas e a aldeia dos produtores ficam a 2 km de Rio Maior. Uma secção do rio, pavimentada com cimento e integralmente propriedade privada, sendo 90% dos produtores membros da cooperativa local, produz anualmente 2000 toneladas de sal e permite a exportação para a Alemanha e Aústria.
Uma mina de sal gema, extensa e profunda, atravessada por uma corrente subterrânea, alimenta um poço de onde se extrai água, sete vezes mais salgada que a do Oceano Atlântico. A partir de um litro de água é possível extrair 220 gr. de sal. Num passado recente, a maioria dos produtores de sal era agricultor, que se dedicava sazonalmente (de Maio a Setembro) à produção de sal.



Nas casas típicas de madeira que ladeiam as salinas é possível comprar sal da cooperativa ou directamente aos produtores. Entre os produtos disponíveis destacam-se os queijos de sal. O sal ainda húmido é moldado, posto a secar ao sol e posteriormente vai a cozer ao forno. Dizem os locais que este sal é ideal para levar à mesa e usar como se fosse um saleiro de sal fino.


Não resisti e trouxe sal puro para temperar os alimentos (1 kg a 0,50€), um queijo de sal (3,00 €) e uma mistura de sal e temperos ideal para carnes (4,00 €). Vou experimentar e depois conto como correu.

25 de agosto de 2012

Pudim Boca Doce

Há dois produtos\ pudins que marcaram a minha infância. O primeiro, e mais assíduo lá em casa, foi o pudim Mandarim. Aquele pudim instantâneo de sabor a baunilha que vem numa embalagem azul com a imagem, algo discutível, de um imperador chinês. O outro produto é o pudim de sabor a caramelo da marca Boca Doce.
No entanto, ao longo da minha infância e adolescência, esteve sempre presente na minha memória a imagem algo difusa de um pudim tricolor comido em casa de alguém por ocasião de uma festa, talvez de aniversário. Era um pudim desenformado feito com três dos sabores tradicionais da Boca Doce: morango, baunilha e chocolate.
Esta manhã acordei a pensar que me apetecia recriar essa imagem mental. Pelo menos em parte. Neste momento, encontra-se no frigorífico a aguardar a hora de almoço, um pudim feito com os sabores a morango e baunilha.


19 de agosto de 2012

Compota de Courgete?!

Sim, até a mim custa a aceitar esta ideia. Mas aquilo que a principio soa como uma aventura culinária algo excêntrica e desesperada na tentativa de escoar o stock de courgetes cá em casa, acaba por funcionar muito bem.
Na maior panela que havia cá em casa foram colocadas quase todas as curgetes que havia, incluindo algumas que já estavam congeladas e á espera que cheguem os dias frios que pedem uma quente e reconfortante sopa. Todas elas foram limpas de sementes, mas nem todas da casca. E acho que no final isso até foi positivo. Para aromatizar a compota, as curgetes foram perfumadas com três paus de canela e uma estrela de anis.
Experimentem e depois digam se gostaram!



Pudim da tia Lurdes

Esta receita tem vários anos. Eu conhecia apenas a versão básica e tradicional do pudim "do chinês". Mas desde a primeira vez que provei esta versão da tia Lurdes fiquei fã. É uma sobremesa fresca e leve que qualquer pessoa consegue fazer.
Hoje decidi experimentar fazer uma versão ligeiramente diferente. Embora o resultado não me tenha desagradado, acho que a receita base funciona melhor. Deixo a seguir a receita base e depois explico o que alterei.


Ingredientes:

1 pudim instantâneo do "chinês"
5 dl. de leite
5 colheres de sopa de açúcar
2 ovos
1 pacote de bolacha maria
1 casca de limão

Preparação:

1. Colocar o leite e a casca de limão num tacho e levar ao lume.
2. Separar as gemas das claras e reservar as claras.
3. Misturar o pudim com o açúcar, adicionar as gemas e um pouco de leite e mexer bem até obter uma mistura homogénea.
4. Quando o leite estiver quase a ferver, adicionar o preparado anterior e, sempre a mexer, deixar ferver por 3 a 5 minutos. Retirar do lume e deixar arrefecer.
5. Partir a bolacha maria de forma grosseira.
6. Bater as claras em castelo.
7. Quando a mistura do pudim estiver morna, adicionar as bolachas e envolver as claras.
8. Colocar no recipiente de servir no frigorifico até à hora de servir.

Na versão que preparei hoje utilizei pudim de chocolate "Boca Doce" e substitui as bolachas maria por cookies com pepitas de chocolate.

15 de agosto de 2012

Bolachas de Curgete



Ingredientes:

100 gr. de manteiga sem sal à temperatura ambiente
1 ovo
1 chávena de açúcar
1/2 colher de chá de extracto de baunilha
1 limão (raspa)
1 colher de chá de sal
1 chávena de farinha
1/2 chávena de fécula de batata (ou farinha maizena)
1 chávena de courgete ralada (sem casca e pevides)
 

Preparação:

1. Numa tigela misturar a manteiga e o açúcar até obter um creme esbranquiçado e fofo. 
2. Acrescentar o ovo e bater bem.
3. Adicionar a raspa de limão, o sal e o extracto de baunilha e mexer. 
4. Juntar depois as farinhas envolvendo até incorporar. 
5. Por fim, acrescentar a courgete e mexer bem.
6. Colocar colheradas de massa num tabuleiro previamente forrado com papel vegetal e levar a cozinhar em forno aquecido a 180º C durante 15 a 20, até as bolachas ficarem ligeiramente douradas.

7. Deixar arrefecer sobre uma rede até ficarem estaladiças e arrumar numa caixa hermética.


Nota: na massa da última fornada de bolachas adicionei algumas raspas de chocolate para dar um gosto especial.

Pizza caseira

Fazer uma pizza em casa é rápido e, sem qualquer dúvida, mais saudável. Com os ingredientes que há disponíveis no momento pode-se fazer uma pizza sempre diferente e sempre com muito sabor. A massa da base pode ser uma de duas receitas, embora qualquer uma delas funcione bem.


Ingredientes:

Massa 1
1 chávena de farinha com fermento
1/2 chávena de água morna sal q.b. azeite q.b.
Orégãos

Massa 2
1,2 dl de água
10 gr. de fermento de padeiro fresco
230 gr. de farinha de trigo 
sal q.b.
Orégãos

Cobertura
1 tomate médio maduro
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de orégãos 
sal q.b.
queijo mozzarella

Preparação

1. Juntar os ingredientes da massa numa taça e amassar bem até obter uma massa elástica. Deixar levedar até dobrar de volume. (A massa também pode ser preparada na máquina de fazer pão)
2. Preparar o molho de tomate. Juntar o tomate, o azeite, os orégãos e o sal e triturar com a varinha mágica ou num processador de alimentos. 
3. Untar um tabuleiro de ir ao forno e estender a massa já levedada, esticando com cuidado a massa à mão.
4. Espalhar sobre a massa o molho de tomate e os restantes ingredientes da cobertura (tomate, presunto, fiambre, cogumelos, milho...), e por fim cobrir com queijo mozzarella ralado. 
5. Levar ao forno a 200 ºC cerca de 15 minutos.


9 de agosto de 2012

Livros e mais livros


Nesta prateleira não estão todos os livros de culinária que existem lá em casa. Mas estão talvez os principais. Aqueles que contam histórias por trás de receitas, que falam de temperos e produtos que nunca provei, que têm fotos que só de olhar fazem apetecer ir para a cozinha ou sair e correr mundo, que ensinam formas ora simples ora apenas diferentes de preparar os alimentos. São quase todos novos, mas também os há já antigos e até comprados em segunda mão.

5 de agosto de 2012

Scrumble de pêssego e famboesa

A herdeira do solar beirão adora scrumble (sim, cá em casa é esse o nome que lhe damos), sobretudo bem fresco e com uma bola de gelado ao lado. Já eu prefiro morno, embora não seja um apreciador de fruta assada no forno.

  



Ingredientes

8 pêssegos
3 colheres de sopa de açúcar
5 colheres de chá de manteiga
100 gr. de framboesas
200 gr. de farinha
4 colheres de chá de açúcar
60 gr. de manteiga
60 ml. de leite
1 ovo

Preparação
1. Descascar os pêssegos, retirar o caroço e dispor cortado em pedaços grandes num prato que possa ir ao forno.
2. Espalhar sobre o pêssego as framboesas e adicionar as 3 colheres de sopa de açúcar e 5 colheres de sopa de manteiga em pequenas nozes.
3. Num processador de alimentos, colocar a farinha, o açúcar e a manteiga e pressionar até obter uma mistura de migalhas grossas.
4. Com o processador em funcionamento, adicionar através do tubo de alimentação o leite e o ovo ligeiramente batido.
5. Quando a massa se apresentar homogénea, retirar do processador e espalhar de forma grosseira sobre os frutos.
6. Levar o prato ao forno a 180.ºC durante cerca de 30 minutos, ou até que os sucos libertados pela fruta borbulhem.
7. Retirar do forno e servir ainda morno, ou então bem frio.

3 de agosto de 2012

Um bolo de aniversário

Ontem fez anos alguém muito especial na minha vida. E, como tal, não podia faltar um bolo de anos à altura da ocasião. Após ruminar toda a semana sobre o assunto, decidi fazer algo simples e com sabor a Verão.
A receita do bolo é simples, rápida e tentadora. Mas a verdadeira estrela é o duplo recheio de amora e framboesa.


Ingredientes:

Bolo
200 gr. de manteiga amolecida
200 gr. de açúcar
4 ovos
200 gr. de farinha
1 dl. de natas ou iogurte natural
1 colher de sopa de essência de baunilha
Recheio
100 gr. de amoras
100 gr. de framboesas
250 gr. de queijo mascarpone ou queijo creme
4 colheres de sopa de açúcar em pó

Preparação:

1. Bater a manteiga com o açúcar até obter uma mistura fofa e esbranquiçada.
2. Adicionar os ovos um a um, ligeiramente batidos, mexendo bem entre cada adição.
3. Juntar o iogurte magro e a essência de baunilha e bater bem.
4. Por fim, juntar a farinha, tendo o cuidado de envolver bem sem bater demasiado a massa.
5. Levar a forno pré-aquecido a 180.ºC numa forma (diâmetro de 20 ou 22 cm) untada e polvilhada de farinha.
6. Quando o palito sair limpo, retirar do forno, desenformar e deixar arrefecer completamente sobre uma rede.

1. No recipiente da picadora, colocar as amoras, 2 colheres de sopa de açúcar em pó e 125 gr. de queijo mascarpone e triturar tudo bem até obter uma pasta de aspecto uniforme. Reservar o preparado no frigorífico.
2. Repetir o processo para as framboesas e reservar igualmente o preparado.
3. Com o bolo já frio, antes de cobrir com pasta de açúcar, cortar o bolo em 3 partes. Sobre a base colocar o primeiro recheio e distribuir de forma uniforme. Colocar a 2.a parte do bolo e cobrir com o segundo recheio. Colocar a 3.a parte do bolo e pressionar ligeiramente.
4. Cobrir com a pasta de açúcar a gosto.


Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.